UNIMED BARRA MANSA PROMOVE TREINAMENTO SOBRE DENGUE

Iniciativa  teve como objetivo orientar profissionais de saúde sobre a conduta adequada no manejo do paciente


 
Visando aprimorar o conhecimento de profissionais da saúde, a Unimed Barra Mansa promoveu o Treinamento Clínico em Manejo da Dengue. O evento foi ministrado pelo infectologista Eduardo Ulloa, da Secretaria Municipal de Saúde, e aconteceu nos dias 12 e 13 de dezembro nas unidades credenciadas Casa de Saúde Santa Maria (no auditório da
Oncovida) e Santa Casa (no Centro de Estudos), nos horários de 8h30 e 19 horas, respectivamente.

O infectologista falou de vários aspectos relacionados ao atendimento do paciente com suspeita de Dengue, como a importância da anamnese e do exame físico, o adequado estadiamento da doença, as indicações para internação e medicações adequadas segundo a indicação.

- A Dengue é uma doença que gera muitas dúvidas e insegurança.  Por isso, o nosso objetivo é contribuir para que médicos e enfermeiros, principalmente os plantonistas, possam ter mais facilidade para classificar a doença e fazer o correto manejo do paciente – comentou o infectologista.

O estadiamento da doença, conforme Dr. Eduardo Ulloa, é feito por meio de grupos, que vão do A ao D, de acordo com os sinais e sintomas do paciente. A suspeita de Dengue ocorre quando o paciente apresenta febre com duração máxima de sete dias acompanhada de pelo menos mais dois sintomas, como náusea, vômitos; exantema; mialgias, artralgia;
cefaleia, dor retro-orbital; petéquias; prova do laço positiva; leucopenia.

- É preciso avaliar os sintomas do paciente, fazendo a anamnese e o exame físico. Aquele que chega com os sintomas da dengue clássica, sem sinais de alarme, deve ser classificado no Grupo A. Já os com desconforto respiratório, dor abdominal, hemorragia grave e comprometimento do funcionamento de órgãos devem ser classificados no Grupo D. São os sinais de alarme ou choque que determinam se o paciente precisa ser internado.

O especialista falou, também, das diferenças de sintomas existentes entre as doenças dengue, Zika e Chikungunya, todas transmitidas pelo Aedes aegypti.

-
 No caso da Dengue, a febre costuma ser alta e quase sempre presente. Já na Chikungunya, a febre é baixa e as dores nas articulações são mais intensas – comentou, baseado na tabela do médico e pesquisador, Carlos Brito.
Ao finalizar o treinamento, o infectologista esclareceu as dúvidas dos participantes. A principal delas foi uma possível epidemia do vírus novamente com a proximidade do verão.

- Apesar de grande parte da população estar imune aos sorotipos 1 e 4 da dengue, que têm circulado predominantemente nos últimos anos, com a introdução do sorotipo 2 poderá haver uma nova epidemia no próximo ano. A febre de chikungunya também terá um número expressivo de casos, já que a população não está imune. Por isso, é importante
que nós, médicos e enfermeiros, estejamos preparados para identificar a doença e realizar o manejo adequado do paciente – enfatizou Dr. Eduardo Ulloa.

O treinamento contou com a participação de aproximadamente 50 profissionais da saúde, que aprovaram e parabenizaram a Unimed pela iniciativa.

- O doutor Eduardo é de extrema competência para falar sobre o assunto. Gostei muito da troca de experiências, o treinamento foi muito bom. Ações como essa são fundamentais para o nosso aperfeiçoamento e atualização profissional. A Unimed Barra Mansa está de parabéns! – disse a pediatra, Drª Maria de Fátima de Jesus Marques.
Share on Google Plus

About Redação Portal

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário