Prefeitura de Volta Redonda abre 12ª Mostra de Artes do CAPD

Exposição fica aberta até 23 de Outubro no Espaço das Artes Zélia Arbex

 

Com mais de 100 obras de arte, foi aberta na noite desta quinta-feira, dia 21, a 12ª Mostra de Artes do Centro de Atendimento à Pessoa com Deficiência (CAPD), da Secretaria de Ação Comunitária de Volta Redonda. A exposição acontece até 23 de outubro no Espaço das Artes Zélia Arbex, na Vila Santa Cecília, das 9h às 18h. As obras foram confeccionadas durante as oficinas de mosaico, pintura em tela, bordado, jornal, cerâmica e marcenaria.

Para o prefeito Samuca Silva, que esteve na abertura da exposição, é um orgulho para o poder público ver a qualidade dos trabalhos. “As obras estão lindas, estão todos de parabéns. Tenho orgulho de poder participar, mesmo que de forma pequena, para o desenvolvimento desse projeto. Em nome do vice-prefeito Maycon, quero agradecer a toda equipe da Smac”, disse o prefeito. “E aproveito para frisar: nosso governo vai fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para colaborar com esse trabalho”, completou.

O vice-prefeito e secretário municipal de Ação Comunitária, Maycon Abrantes, também fez questão de elogiar as obras. “Esse é um grande projeto realizado no nosso CAPD, quero agradecer a todos que trabalham para fazer a vida das pessoas com deficiência ser melhor. Faço questão de convidar a população para vir até a exposição porque as obras estão belíssimas”, destacou.

Quem também participou da abertura da exposição foi Ricardo Guidorene, de 55 anos, o atendido mais antigo do CAPD. “Estou há 22 anos no projeto. Eu adoro esse trabalho. Eu gosto de tudo lá, mas a oficina de mosaico é muito legal”, afirmou.

Também atendida pelo CAPD, Ana Lúcia Arantes, de 46 anos, estava contente com a exposição. “Eu gosto de tudo no CAPD, das festas, dos amigos. Mas o que eu mais gosto é do bordado”, disse ela. Segundo sua irmã, Maria de Fátima Arantes, o projeto é fundamental para o desenvolvimento da Ana Lúcia. “Em vários casos a pessoa com deficiência vive apenas com a família. Através do CAPD, há a inserção social delas, o que é muito importante”, completou.

Segundo a coordenadora do CAPD, Elizabeth Melo, 125 pessoas são atendidas pelo órgão, atualmente. “Essa exposição é a valorização do potencial da pessoa com deficiência. Apesar de terem alguma limitação, o seu potencial consegue ser traduzido através da arte”,acrescentou, ressaltando que as obras expostas esse ano foram inspiradas em artistas como Romero Britto, PietMondrian, Alfred Gockel e Di Cavalcanti.

Com mais de 100 obras de arte, foi aberta na noite desta quinta-feira, dia 21, a 12ª Mostra de Artes do Centro de Atendimento à Pessoa com Deficiência (CAPD), da Secretaria de Ação Comunitária de Volta Redonda. A exposição acontece até 23 de outubro no Espaço das Artes Zélia Arbex, na Vila Santa Cecília, das 9h às 18h. As obras foram confeccionadas durante as oficinas de mosaico, pintura em tela, bordado, jornal, cerâmica e marcenaria.

Para o prefeito Samuca Silva, que esteve na abertura da exposição, é um orgulho para o poder público ver a qualidade dos trabalhos. “As obras estão lindas, estão todos de parabéns. Tenho orgulho de poder participar, mesmo que de forma pequena, para o desenvolvimento desse projeto. Em nome do vice-prefeito Maycon, quero agradecer a toda equipe da Smac”, disse o prefeito. “E aproveito para frisar: nosso governo vai fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para colaborar com esse trabalho”, completou.

O vice-prefeito e secretário municipal de Ação Comunitária, Maycon Abrantes, também fez questão de elogiar as obras. “Esse é um grande projeto realizado no nosso CAPD, quero agradecer a todos que trabalham para fazer a vida das pessoas com deficiência ser melhor. Faço questão de convidar a população para vir até a exposição porque as obras estão belíssimas”, destacou.

Quem também participou da abertura da exposição foi Ricardo Guidorene, de 55 anos, o atendido mais antigo do CAPD. “Estou há 22 anos no projeto. Eu adoro esse trabalho. Eu gosto de tudo lá, mas a oficina de mosaico é muito legal”, afirmou.

Também atendida pelo CAPD, Ana Lúcia Arantes, de 46 anos, estava contente com a exposição. “Eu gosto de tudo no CAPD, das festas, dos amigos. Mas o que eu mais gosto é do bordado”, disse ela. Segundo sua irmã, Maria de Fátima Arantes, o projeto é fundamental para o desenvolvimento da Ana Lúcia. “Em vários casos a pessoa com deficiência vive apenas com a família. Através do CAPD, há a inserção social delas, o que é muito importante”, completou.

Segundo a coordenadora do CAPD, Elizabeth Melo, 125 pessoas são atendidas pelo órgão, atualmente. “Essa exposição é a valorização do potencial da pessoa com deficiência. Apesar de terem alguma limitação, o seu potencial consegue ser traduzido através da arte”,acrescentou, ressaltando que as obras expostas esse ano foram inspiradas em artistas como Romero Britto, PietMondrian, Alfred Gockel e Di Cavalcanti.
Share on Google Plus

About Redação Portal

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário