Materiais recicláveis viram experimentos tecnológicos em Volta Redonda

Projeto Robótica Educacional, do Programa Sábado nas Escolas, aconteceu no auditório da secretaria municipal de Educação


Uma exposição de trabalhos realizados com os alunos do projeto Robótica Educacional com Software e Hardware Livre, do Programa Sábado nas Escolas, foi realizada nesta terça-feira, dia 24, no auditório da Secretaria de Educação de Volta Redonda, no bairro Niterói. Aproximadamente 400 alunos passaram pelo local, além da população que foi verificar de perto a transformação de materiais recicláveis em inovação tecnológica. O objetivo foi expor o trabalho desenvolvido pelas crianças na construção, programação e aproveitamento de materiais recicláveis. Além disso, o evento contou com sete palestrantes que falaram sobre Tecnologia da Informação, Segurança na Internet, Uso de Aplicativos Livres e Robótica Educacional.

Os trabalhos dos estudantes ficaram expostos logo na entrada do auditório da SME. A Escola Municipal Professora Maria Rosa Rodrigues desenvolveu sete projetos diferentes, entre eles, uma luminária de Led RGB, responsável por iluminar o ambiente com as três cores primárias – verde, azul e vermelho, feita com caixa, disco de drive hd e cabo de impressora. Morador do bairro Vila Rica, o aluno Leandro Mariano, de 10 anos, começou no Programa Sábado nas Escolas este ano e montou uma garra robótica feita em uma impressora 3D. “Desde o ano passado eu tenho essa ideia. A garra robótica que criei utiliza motores e potenciômetros. Ao mover os potenciômetros, a garra se movimenta e faz objetos mexerem”, explicou.

Diferente da robótica da equipe Jaguar Baby da Escola Municipal Rubens Machado, que foi ao Japão em julho deste ano disputar a Robocup, e utiliza peças de lego para montar seus robôs, as unidades participantes da robótica do Programa Sábado nas Escolas utilizam apenas o software e hardware livres. Na Escola Municipal Dr. João Pio, uma garrafa de detergente foi reutilizada pelos estudantes e se transformou em uma lanterna. Já na Escola Municipal João Paulo I, os alunos mostraram motores de uma manete de vídeo-game, chaveiros decorados com teclas de teclados de computadores, porta-retratos com teclados de computadores e um carrinho LDR (do inglês Light Dependent Resistor), criado com rodas feitas com tampinhas de refrigerante que, ao receber iluminação direta, o LDR ativa o motor e o carrinho se move.

“Os alunos ficam bastante motivados em participar destes projetos, visto que os trabalhos são todos idealizados por eles. É importante que mostrem o que desenvolveram durante as aulas e tenham oportunidade de trocarem experiências tão ricas”, disse a secretária municipal de Educação, Rita Andrade. O prefeito Samuca Silva parabenizou os estudantes e os idealizadores do projeto.

“O projeto consiste em reaproveitar o que temos em casa, sem custos, para a montagem destes materiais, além de conscientizar as pessoas para um planeta mais limpo. Fico contente em ver a comunidade escolar comparecendo em peso e abraçando essa causa”, elogiou.

A Fevre (Fundação Educacional de Volta Redonda) também trouxe projetos dos colégios João XXIII e Getúlio Vargas, além da Academia da Vida Oscar Cardoso. “A Fevre tem levantado essa bandeira da sustentabilidade e nós não poderíamos de deixar de levantar também a bandeira da Educação Ambiental para a robótica”, acrescentou o presidente da Fevre, Eduardo Dessupoio.
Share on Google Plus

About Redação Portal

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário