ALUNO DA OFICINA DE FOTOGRAFIA DO CONFIAR FAZ SEU PRIMEIRO TRABALHO PROFISSIONAL

Convite surgiu após publicação de uma foto numa rede social


A oficina de fotografia desenvolvida pela Fundação Confiar, e que beneficia atualmente 62 estudantes da rede pública, com idade entre 14 e 17 anos, já está revelando talentos. Participando do curso ministrado pela fotógrafa Gleisiane Carvalho há apenas quatro meses – as aulas tiveram início em março -, o aluno Jean Marcos, de 16 anos, fez, no último sábado, dia 28, seu primeiro trabalho profissional: fotografou um casamento.

O convite para registrar um dos momentos mais importantes da vida partiu da família da noiva, que entrou em contato com Jean logo após ver uma fotografia de sua autoria publicada numa rede social. A foto, feita em casa, de forma despretensiosa, registrava a mãe e a irmã mais nova de Jean, num ângulo que sugeria uma montagem, mas não era. “Assim que viu a foto, ela entrou em contato comigo e já me contratou para fotografar o casamento” – conta Jean, entusiasmado com a possibilidade real de fazer da arte de eternizar imagens uma profissão.

As fotos do casamento foram feitas com a câmera que Jean acabou de comprar, de forma parcelada. O dinheiro veio da ajuda de custo, no valor de R$ 150,00, que recebe mensalmente pela Prefeitura por participar da oficina na Fundação. Agora, com o cachê recebido pelo trabalho, as mensalidades ficarão mais suaves.

- Eu economizei e consegui comprar a máquina, mas tive que parcelar porque o equipamento é caro. Agora, com o valor que vou receber pelo trabalho, vai ficar mais fácil pagar. Esta primeira contratação eu nem esperava, mas agora já começo a pensar na fotografia como uma profissão para o futuro – conta Jean que é estudante do segundo ano do Ensino Médio da Escola Estadual Pedro Braile Neto e mora no bairro Morada do Contorno.

Antes de fazer a foto da mãe e da irmã que lhe rendeu o contrato para registrar o casamento, Jean, que também gosta de fotografar paisagens, já tinha feito um ensaio fotográfico para uma amiga. Ele conta que, antes de participar da oficina da Fundação, já tinha frequentado outro curso de fotografia, mas que o conteúdo do mesmo não o entusiasmou tanto quanto o do Confiar.

- O outro curso que fiz era noturno, as aulas eram apenas teóricas, não tínhamos equipamentos e os outros participantes eram mais velhos, o que já dificultava a troca de experiências. Na oficina do Confiar, além das aulas teóricas, temos também aulas práticas, podemos mexer na máquina e todos os participantes têm mais ou menos a mesma idade, o que facilita a convivência – explica Jean.


A oficina

Iniciada em março de 2018, a oficina de fotografia, que se estenderá até novembro, é realizada na sede da Fundação Confiar, com aulas teóricas e práticas. Nela, são ensinadas técnicas de fotografia que podem ser aplicadas em câmeras de celulares, até equipamentos semiprofissionais e profissionais. Além disso, durante o curso, os estudantes também são incentivados a desenvolver um olhar diferenciado sobre tudo o que vêem, passando a observar, de forma atenta, paisagens, pessoas, lugares, o ritmo da cidade, entre outras possibilidades de registro fotográfico. A ideia, no entanto, vai muito além disso, como explica a professora e fotógrafa Gleisiane Carvalho.

- No curso procuro ensinar tudo sobre a parte técnica da fotografia, como manusear o equipamento e usar os recursos oferecidos, além de instigar e valorizar a precisão, o detalhe e a criatividade dos participantes, que são fundamentais nesta profissão. Mas, além desta questão técnica, o curso também tem um papel social importante, pois me ajuda a conhecer cada aluno, entendendo o modo como eles enxergam o mundo. É como se eu conseguisse vê-los através de suas próprias lentes – disse a professora, que já identificou em alguns alunos o desejo de se tornarem profissionais da fotografia e, em outros, a vontade de simplesmente aprender algo novo.

Entre eles está a estudante Suellen Cristina Nogueira Ramos, que escolheu a oficina de fotografia por acaso, mas já se encantou com o curso: eu entrei na oficina por acaso, mas hoje vejo a fotografia com outros olhos. Quero aprender sempre mais e me transformar numa fotógrafa profissional” – disse Suellen. Já a capacidade de enxergar algo diferente nas coisas simples, foi o que conquistou o estudante Carlos Augusto no curso: “é muito interessante a forma como o fotógrafo consegue transformar uma simples paisagem em algo novo e interessante. Além disso, esta é uma profissão em que você trabalha por conta própria, o que é bem legal”, ressalta o estudante.

Além da oficina de fotografia, a Fundação Confiar oferece outras seis alternativas para jovens com idade entre 14 e 17 anos, alunos de escolas públicas. São elas: Auxiliar de Sala de Aula, Recreador de Creche, Empreendedor Social, Guarda Aprendiz, Educação Ambiental, e Noções Administrativas. No total, 430 adolescentes são atendidos atualmente.

Share on Google Plus

About Redação Portal

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.

0 comentários :

Postar um comentário